Ocorreu um erro neste gadget

13/10/2011

Instituto Consulado da Mulher, na Universidade Federal do ABC




ADR: Lívia Pelá Corrêa (SEBRAE-INCRA)
A Agente de Desenvolvimento Rural Ambiental e Social (ADR), Lívia Pelá Corrêa responsável pelo projeto de assentamento Rio Vermelho em Niquelândia Goiás, pertencente à equipe da regional Centro Nordeste (Goianésia-Go) do convênio SEBRAE-INCRA-Go coordenada pela (Sandra de Paula, Renato Jaime e Carlos Maia). Representou entre os dias 27 e 28 de setembro em São Paulo no evento promovido pelo Instituto Consulado da Mulher, na Universidade Federal do ABC, localizada em Santo André o projeto da Associação das Mulheres do Rio Vermelho (AMURV) de Niquelândia Goiás gerenciado pelo convênio SEBRAE-INCRA. 
Nestes dias, as instituições parceiras do Programa Usinas do Trabalho, presente em 18 estados brasileiros, participarão com suas contribuições práticas de assessoria a empreendimentos solidários. Dentre estes 18 empreendimentos esta a AMURV que foi  a única contemplada no estado de Goiás e recebeu a doação da empresa Consul através do Projeto Consulado da Mulher projeto Usinas do Trabalho com a doação de 2 frízer, 2 geladeiras, 2 micro-ondas, 2 fogões para fabricação de doces e compotas.

No seminário foram discutidos vários temas como; a formação em Metodologia de Assessoria,  direcionada a formação de educadores, incubadores, técnicos e profissionais de assistência social. Empreendedorismo houve a troca de experiências dos empreendimentos rurais e urbanos, expressamos as vitorias e dificuldades, os avanços e metas em comuns dos grupos de geração de renda para mulher em situação de vulnerabilidade social. 
Os relatos durante o encontro foram importantes, pois pudemos traçar objetivos mais claros em relação ao nosso trabalho, a oportunidade de conhecermos projetos que possuem o mesmo foco de geração de renda para mulher foi importante para continuarmos trocando experiências.

30/08/2011

Dia da igualdade da mulher

Durante o século passado, as mulheres quebraram tabus e ocuparam espaços no mercado de trabalho, atendendo as suas necessidades pessoais e familiares e, mais recentemente, atingindo a realização pessoal. Seus papéis se acumularam e o estereótipo de “Super Mulher” se tornou quase um modelo para as mulheres de todas as idades e classe sociais.

Hoje em dia a superação das desigualdades entre meninos e meninas começa no acesso a escola. A educação é fundamental para a valorização e capacitação de mulheres que ocupam cargos cada vez mais ativos, sejam na economia, na política, na sociedade ou no desenvolvimento pessoal.

Ainda no Brasil mulheres que exercem a mesma função que homens chegam a ganhar salário inferior.

O que podemos fazer para promover a igualdade entre os sexos e valorizar o direito das mulheres.
 Apoiar programas de melhoria para qualificação profissional.
Valorizar o trabalho da mulher, procurando criar as mesmas igualdades sociais entre os gêneros.
Criar e divulgar centros de atendimento para mulheres que sobre violência física e psicológica.
Divulgar centros de apoio para novas oportunidades de trabalho voltado para as mulheres.
Apoiar ações sócias que estimulam as mulheres a buscar alternativas de geração de renda.
Educar os filhos e filhas sobre a igualdade entre gêneros.
Não impor expressões como “isso é coisa de mulher” ou “isso é coisa de homem”, que seja contra a dignidade de ambos os sexos, ou que coloquem em situação de inferioridade.

Denunciar casos de violência e abuso sexual pelo disque denuncia da policia civil.

Elaborar atividades em prol da melhoria de auto-estima das mulheres promovendo a valorização e o respeito.
PIB7 JOINVILLE

05/06/2011

O EMPREENDEDORISMO ESTÁ MUDANDO A REALIDADE DE MULHERES DO CAMPO.

 É o caso da associação de Associação das Mulheres do Rio Vermelho (AMURV) do assentamento Rio Vermelho em Niquelândia-Go . Apoiada pelo Convênio entre o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE em Goiás), visa promover o desenvolvimento social, ambiental, técnico e econômico dos assentamentos rurais do Estado Goiás.

O empreendimento, que começou menos de 2 anos com um grupo de mulheres produzindo doces em uma cozinha improvisada. A produção da matéria-prima vem do próprio assentamento.

A Consultora Lívia Pelá Corrêa, lembra que investimentos como o de capacitação, realizados pelo SEBRAE-GO e instituições parceiras, levaram a gestão empresarial no assentamento.

Associação se dedica à tarefa empreendedora de unir e auxiliar a gestão do projeto. A presidente da AMURV  Diana Grebrim  se orgulha ao “falar das conquistas como a construção da cozinha coletiva para a fabricação de alimentos em faze final. A doação da empresa Consul através do Projeto Consulado Da Mulher onde fomos contempladas com a doação de 2 frízer, 2 geladeiras, 2 micro-ondas, 2 fogões tudo com auxilio da consultoria do SEBRAE-GO”.
A mini agroindústria de fabricação de doces em faze final de montagem no assentamento Rio Vermelho em Niquelândia-GO ira aquecer a economia da agricultura familiar da região.
This applies to the Association of Women's Association of the Red River (AMURV) of the Red River settlement in Niquelândia-Go. Supported by the Agreement between the National Institute of Colonization and Agrarian Reform (INCRA) and the Department ofMicro and Small Enterprises (SEBRAE Goias), aims to promote the social,environmental, technical and economic development of rural settlements in the GoiasState

The project, which began less than two years with a group of women producing sweets in a makeshift kitchen. The production of the raw material comes from the settlement itself.

The Consultant Livia for the trip, remember that investments such as training, conductedby SEBRAE-GO and partner institutions, led to corporate management in the settlement.
 
Association dedicated to entrepreneurial task of uniting and assisting the managementof the project. The president of AMURV Grebrim Diana is proud to "speak of the achievements as the construction of collective kitchen for making food in the end do. Thedonation through the company's Consul Consulate Women's Project where we werecontemplated with the donation of two freezers, two refrigerators, two microwaves, twostoves everything with the help of consulting SEBRAE-GO. "
 
The small agro-industries in the manufacturing of sweets do final assembly in the Red River settlement in Niquelândia-GO will boost the economy of the family farm.

Assentadas rurais no circuito da resistência: invertendo papéis?


Ao assumir o comando de atividades produtivas, as assentadas têm se contraposto aos modelos tradicionais empenhados em naturalizar a divisão do trabalho e da vida cotidiana entre homens e mulheres.

Esta atribuição de papéis, exigências e expectativas são sociais e não biológicas, por isso podem variar no tempo e no espaço. Então, ainda conforme Brumer (2005), os assentamentos de reforma agrária são locais privilegiados para o estudo de gênero, porque a construção desse espaço social tem por base a mudança de condições sociais. Com as novas exigências da modernidade, cresce a necessidade da mulher rural ter outras ocupações para obter renda, então passam a cortar cana nos locais onde antes faziam agricultura de subsistência e extrativismo, passam a fazer faxina e ter outras ocupações nas cidades, ao invés de cuidar de suas próprias casas. De igual modo, elas passam a beneficiar produtos no interior da propriedade para vendê-los. Se a mulher não trabalha para obter dinheiro, sua reputação é cada vez pior (WOORTMANN, 1993).
Essa situação explica, talvez, o número significativo e crescente de mulheres que trabalham como assalariadas fora do assentamento. O fato de desenvolverem atividades destinadas a complementar a renda agrícola parece compatível com a concepção de que sua função produtiva vai subsidiar, ajudar. Em algumas situações, se assalariam como forma de aumentar a renda e o investimento no lote, em outras, aparece claramente a vontade de se livrar das formas, mais ou menos dissimuladas, da violência de gênero. Retrato de um mundo de relações novas, cujas fronteiras lhes são, às vezes, totalmente desconhecidas, as mulheres não participam, via de regra, da tomada de decisões na administração e no planejamento dos lotes. Não têm, em seu passado recente, experiências de um trabalho cooperativo, mas convivem com a combinação das forças reguladas pelo tempo disciplinado. Em muitas situações, as mulheres assentadas, ex-bóias-frias, nunca haviam tido oportunidade de tomar decisões sobre seu tempo de vida e de trabalho. Têm, ainda mais, que ajudar a gerir seu próprio espaço, vindos de um tempo regido pelo olhar do outro, sem poder imprimir a essa gestão, iniciativas próprias.

Mudanças recentes na política nacional de assentamentos acenam para a incorporação de questões de gênero. Foram abertos novos horizontes no campo da titulação, do crédito agrícola e da assistência técnica. Entretanto, há que se examinar o que vem, de fato, significando o conjunto de políticas públicas dirigidas à promoção da autonomia econômica, elemento indispensável para a superação das desigualdades que marcam as vidas das mulheres assentadas e de outras trabalhadoras rurais.
No campo das associações, da politização de espaços de sociabilidade, as mulheres começaram por tomar a dianteira em questões de infra-estrutura, em reivindicações apresentadas à Prefeitura. A partir dessas iniciativas, começaram a discutir formas de complementar a renda, através, por exemplo, de hortas, de granjas, do trabalho em farinheiras, em padarias, dentre outras.
Por outra entrada, a emergência das mulheres rurais nos movimentos sociais proporcionou seu aparecimento como sujeito político, constituindo espaços importantes de ressignificação de suas atividades produtivas, não apenas em relação ao seu trabalho dentro do lote agrícola, mas também fora dele.
Diante desse quadro, as mulheres rurais vêm se mobilizando em esferas política e produtiva em busca de sua auto-afirmação. 
http://www.ufscar.br/neped/pdfs/anais/ALASRU_GT9_Henrique_Carmona_Duval.pdf

05/05/2011

DOAÇÃO CONSULADO DA MULHERER PARA ASSOCIACAO DAS MULHERES DO RIO VERMELHO - AMURV de Niquelândia-Go

É com satisfação que informamos sobre a finalização do processo seletivo de projetos para o Programa Usinas do Trabalho pela empresa CONSUL através do Consulado da Mulher 2011. De um total de 206 projetos recebidos, 123 foram considerados elegíveis para o recebimento de eletrodomésticos que serão utilizados como meios de produção a ASSOCIACAO DAS MULHERES DO RIO VERMELHO - AMURV de Niquelândia-Go está entre os 30 contemplados no lote de abril e, portanto está elegível ao recebimento dos eletrodomésticos.
Doação da empresa Consul através do
Consulado da Mulher a Associação das Mulheres do
 Rio Vermelho em Niquelândia-Go.
Todo esses esforços só foram possíveis graças ao trabalho do SEBRAE Goiás. O próximo grande projeto da AMURV em 2011 foi impulsionado pela a doação da empresa Consul através do Projeto Consulado Da Mulher onde fomos contempladas com a doação de 2 frízer, 2 geladeiras, 2 micro-ondas, 2 fogões. a comunidade do assentamento Rio Vermelho se uniu em um clima de esperança para termos um local adequado para produção, conservação e estocagem dos Doces e compotas pois toda nossa produção era feita sem padronização ou seja cada produtora em sua casa não possuímos uma cozinha coletiva. Pedimos material de construção e doações para empresas e pessoas físicas da cidade de Niquelândia-Go para que fosse possível a construção da nossa cozinha e a adequação das instalações Nossa sede está sendo construída para processamento e fabricação da mini agroindústria doces e compotas graças a todo esforço coletivo.  A intenção de fortalecer a venda dos produtos para a merenda escolar, negociar diretamente com a Subsecretaria de Educação, a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) que destina os alimentos para instituições de caridade, como creches e asilos e as pousadas em torno do lago da Serra da Mesa em Niquelândia-Go região de intenso turismo. Essas ações beneficiam não só a comunidade em geral, como cada família também. 


OBRIGADA AO CONSULADO DA MULHER  PELAS AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRESTADA AO GRUPO DE MULHERES TRABALHADORAS RURAIS PROMOVENDO O CRESCIMENTO DA ECONOMIA RURAL A GERAÇÃO DE RENDA QUE PERMITE A PERMANÊNCIA NA ZONA RURAL, COM QUALIDADE DE VIDA PARA SI E PARA SEUS FAMILIARES.

29/04/2011

Projeto Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS)


 Horta orgânica que faz parte do Projeto Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS), do Convênio SEBRAE-INCRA em Niquelândia-Go, em parceria com a Fundação Banco do Brasil. O objetivo é levar alimentação saudável para a mesa e contribuir para a geração de emprego e renda das famílias.
O sistema que combina a permacultura e a agricultura orgânica é constituído de círculos que tem ao centro um aviário coberto com capacidade para criar de 10 a 50 galinhas, em torno dele uma faixa composta de três canteiros de 1,20 metro de largura para o cultivo de hortaliças à volta desta, outra faixa para plantio de legumes e outros alimentos. Daí para diante vem o quintal das frutas, que é dividido em dois piquetes ao qual as galinhas chegam para pastar depois de passar por um estreito corredor que liga o galinheiro ao quintal.   
Essa construção relativamente simples e de fácil manutenção pelo produtor, conta com um sistema de irrigação por gotejamento que funciona por pressão natural da queda d’água e é alimentado por um reservatório com capacidade para cinco mil litros.

O PAIS é direcionado para agricultores familiares de baixa renda e ensina a plantar sem agrotóxico. A metodologia reúne técnicas de produção agroecológica e promove o desenvolvimento sustentável. As fotos postadas são do Assentamento Santa Rita do Brueiro em Niquelândia-Go. A alternativa possui grande valor ambiental e gera economia para os produtores rurais. Esta tecnologia social cria oportunidades para os trabalhadores. Além de consumir alimentos de qualidade e preservar o meio ambiente e podem aumentar a renda com a comercialização dos excedentes.

20/04/2011

SEGURANÇA ALIMENTAR (LAVORA DE ARROZ) ASSOCIAÇÃO DE MULHERES AMURV


As lavouras de arroz da associação de mulheres do assentamento Rio Vermelho está chegando na hora colheita.

A importância dos plantios coletivos e assegurar a segurança alimentar e nutricional essa lavora ira ser dividida entre as 33 sócias estimamos que todas as 33 famílias terão arroz por 13 meses.

Nos assentamentos rurais esse tipo de ação é mais fácil pois as propriedades encontra-se umas ao lado das outras. Em geral possem uma sede para reuniões e encontros das produtoras.

ONU Mulheres Brasil e Cone Sul abre edital anual para financiamento de projetos da sociedade civil

Seleção destina US$ 415 mil e está centrada em três áreas temáticas: liderança e participação política, eliminação da violência contra as mulheres e empoderamento econômico das mulheres.  Propostas de projetos serão recebidas até o dia 8 de maio de 2011
 
 
Brasília, 19 de abril de 2011 - A ONU Mulheres – Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e Empoderamento das Mulheres abre nesta terça-feira (19/4) edital anual para financiamento de projetos da sociedade civil. A seleção se encerra no dia 8 de maio de 2011 e prevê o financiamento de US$ 415 mil (cerca de RS 680 mil) para iniciativas que sejam executadas na Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai.
 
O edital está estruturado em três áreas temáticas: expansão da liderança e participação das mulheres, promovendo a igualdade de gênero nas diferentes esferas da sociedade; eliminação da violência contra as mulheres; e fomento ao empoderamento econômico das mulheres. Podem apresentar propostas organizações da sociedade civil com experiência mínima comprovada de um ano na execução de projetos similares. Os projetos financiados deverão ser executados no período de 1º de julho de 2011 a 30 de junho de 2012.
 
Para o Brasil estão destinados US$ 133 mil (cerca de R$ 220 mil) para a capacitação de organizações da sociedade civil, especialmente de mulheres e população LGBT em situação de vulnerabilidade social, para participar na formulação e avaliação de políticas públicas na área de segurança pública. Os recursos também estão direcionados para apoiar as atividades preparatórias da 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres e aumentar a capacidade de liderança das mulheres em cargos eletivos e em esferas de tomada de decisão.
 
Na Argentina, o edital canaliza US$ 87 mil para o fortalecimento de rádios comunitárias; atividades de base de mulheres rurais, povos originários e migrantes para incidência nas políticas públicas; e produção de conhecimento sobre cadeias de cuidado, uso do tempo e temas econômicos de mulheres rurais, povos originários, afrodescendentes, migrantes e em outras áreas de vulnerabilidade. Para o Chile, a seleção prevê US$ 55 mil para a seleção de projetos que aumentem a capacidade de liderança das mulheres e a participação delas em cargos eletivos e de tomada de decisão; e a geração de renda de mulheres rurais, com enfoque especial em mulheres indígenas.
 
No Paraguai, serão financiados US$ 62 mil em projetos que reinstalem a discussão sobre cotas para mulheres na política; fortaleçam as capacidades institucionais da Secretaria de Gênero do Poder Judiciário; e fortaleçam a capacidade de elaboração de orçamentos sensíveis ao gênero da Secretaria da Mulher da Presidência da República. Para o Uruguai estão alocados US$ 78 mil para financiar iniciativas que estimulem a participação política das mulheres e fomento dos direitos das mulheres de minorias com discriminações múltiplas; e apóiem iniciativas relacionadas a gênero e mudanças climáticas.
 
 

O Consulado da Mulher (PARABENS PELAS INICIATIVAS)

O Instituto Consulado da Mulher é uma ação social da marca Consul criada para que mulheres de baixa renda encontrem oportunidades de geração de recursos para a melhoria da qualidade de suas vidas e as de suas famílias.

Acreditamos que a mulher é o pilar de sustentação da família, e agente transformador do seu entorno.  Ao entender as oportunidades para ampliação de sua renda, ela percebe uma nova forma de viver e relacionar-se com o mundo, multiplicando esse conhecimento para seus filhos e demais familiares.
O processo de assessoria desses empreendimentos utiliza princípios metodológicos próprios, baseados em conceitos da Economia Solidária e da Educação em Gênero, e ocorre de duas formas: pelo Programa Mulher Empreendedora, nas cidades onde o Consulado da Mulher possui unidades, e pelo Programa Usinas do Trabalho, que beneficia organizações de todo o Brasil que também trabalham com incentivo à geração de renda entre mulheres.


Nosso Público
Os empreendimentos assessorados pelo Consulado da Mulher são formados por uma maioria de mulheres de baixa renda, com idade mínima de 16 anos e com dificuldades
de acesso ao mercado de trabalho e à economia formal, ocasionadas pela falta de capacitação técnica. Geralmente responsáveis pelas tarefas domésticas e dos filhos,
o que dificulta a prática de atividade remunerada, muitas delas possuem dificuldades
de acesso a recursos básicos, como transporte e meios de informação.
O Consulado da Mulher tem configuração jurídica de Organização da Sociedade Civil desde 2005. Este status proporcionou ao Consulado da Mulher maior autonomia e possibilidade de desenvolvimento e expansão, por meio de parcerias e captação de recursos próprios.

http://www.consuladodamulher.com.br

13/04/2011

Curso de empreendedorismo para mulheres das regiões rurais

O Senar lançou um curso de empreendedorismo gratuito para as mulheres moradoras das regiões rurais do Brasil, para auxiliá-las a administrar o negócio e a propriedade, ensinando desde aspectos gerais de direitos trabalhistas até as características essenciais de um líder.

O curso possui 40 horas de atividades em ambiente online e aborda conceitos de empreendedorismo características de empreendedores de sucesso, planejamento, organização, controle e avaliação dos resultados de um negócio. As matrículas estão abertas no site: http://eadsenar.canaldoprodutor.com.br/cursos

03/04/2011

A importância da mulher na agricultura familiar

Embora os homens sejam maioria entre a população do meio rural, as mulheres têm conquistado cada vez mais um papel importante no campo. De acordo com o IBGE, atualmente existem 4,1 milhões de trabalhadoras na agricultura familiar no país e 600 mil delas são responsáveis por estabelecimentos agropecuários.

A organização das pessoas que vivem no espaço rural, mais precisamente, que fazem parte da agricultura familiar mudaram, ou melhor dizendo, se adaptaram na busca da permanência no campo. E, no esforço de construir possibilidades para a autonomia social, econômica e política, as mulheres exercem papel  fundamental no contexto da produção familiar. A mulher se divide em uma jornada de trabalho extensa, que combina atividades no comércio, na casa e no trabalho agrícola, seja pela busca de incremento nos rendimentos familiares, agregando valor aos produtos agrícolas. Ainda podemos mencionar a confecção de doces caseiros,  o artesanato doméstico (fabricação de toalhas de crochês, pinturas em guardanapos, panos de prato, etc...) e a dedicação ao pequeno comércio que se localiza junto a unidade produtiva, constituindo formas complementares de renda.

As estratégias adotadas são as mais diversas, entretanto, a figura da mulher ocupa uma posição de destaque, porque é a responsável pela grande parte das atividades que caracterizam a pluriatividade na agricultura familiar.


http://www.tvhoje.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1691:a-importancia-da-mulher-na-agricultura-familiar&catid=69:outros&Itemid=125

14/03/2011

Mão-de-obra feminina produz arroz

NIQUELÂNDIA/RIO VERMELHO
Mão-de-obra feminina produz arroz
Criada no último mês de setembro, a Associação de Mulheres do Rio Vermelho, povoado a 50 quilômetros da área central de Niquelândia, espera colher 1.000 sacas de 60 quilos de arroz em março. As sementes do cultivo foram doadas pela Secretaria Estadual da Agricultura (Seagro) e o plantio da lavoura comunitária, numa área de quatro alqueires, deverá ser concluído até a próxima terça-feira (15). Segundo a presidente da entidade, Isabel Moreira Soares, a maior parte do arroz a ser colhida servirá para a própria subsistência dos beneficiários do programa de agricultura familiar. O prefeito Ronan Rosa Batista (PTB) e o secretário da Agricultura de Niquelândia, Gilvando Freitas Albuquerque, estão colaborando bastante com a empreitada, fornecendo as horas de trator necessárias ao preparo da terra. "Essa ajuda da prefeitura para nós, tem sido grandiosa", comentou a presidente, que visitou a redação do Diário do Norte em Niquelândia na tarde da quarta-feira (2). Sobre a associação em si, Isabel disse que o trabalho da entidade quer proporcionar às mulheres da zona rural uma oportunidade de fonte de renda, com cursos de capacitação, já que "na roça", nas palavras dela, são raras as oportunidades para as representantes do sexo feminino. Na tarde de sábado (28), 34 mulheres da associação do Rio Vermelho fizeram a retirada de raízes do solo onde o arroz será plantado, para que a terra produza o alimento com qualidade e na quantidade esperada. Naquele dia, a alegria das mulheres com o trabalho foi tão grande que uma delas, Cândida Rodrigues de Souza, expressou sua satisfação com um belo poema, que está sendo publicado com exclusividade pelo DN (veja ao lado).

Mulheres em Ação
(Poema de Cândida Rodrigues de Souza)

As mulheres do Rio Vermelho
Unidas em Ação
E para dar início
Criaram a Associação

As mulheres são decididas
E resolveram lutar
Com a união se faz a força
Resolveram trabalhar

Unidas nós venceremos
Você pode acreditar
Quem trabalha Deus ajuda
É preciso iniciar

28 de novembro
Começamos em mutirão
Foram 28 pessoas
Preparar para a plantação

Pedimos a colaboração
Das autoridades em ação
Para ajudar as mulheres
Que vivem aqui no sertão
Euclides Oliveira
http://www.jornaldiariodonorte.com.br/site/cidades.php?cod=4626 acessado setembro 2010

11/03/2011

PRODUÇÃO DE FRANGO CAIPIRA




ESTAMOS TRABALHANDO PARA O FUTURO DAS PRXIMAS GERAÇÕES NO CAMPO
                                
                                         Desculpe a tradução não tive oportunidade de aprender inglês então utilizo tradutor online para ler e escrever.

O projeto de produção de frangos caipiras nos assentamentos de Niquelândia-GO e desenvolvido com principal foco de trazer da atividade produtiva voltada à produção de carne e ovos caipira, possibilitando a geração de renda e segurança alimentar.


Todo trabalho é feito de forma sustentável dentro da agroecologia. O objetivo é transformar os assentamentos em unidades de produção estruturadas, com a capacitação e promovendo o desenvolvimento sustentável das famílias e/ou grupos, tais como a associação tradicional e de mulheres, contamos com assessoria na definição das atividades a serem desenvolvidas em cada região, na produção até a comercialização dos produtos.


Sorry about the translation had no chance to learn English so I use online translator to read and write.

The design of poultry production in the settlements of hillbillies Niquelândia-GO and developed with main focus to bring the production activity dedicated to the production of meat and eggs redneck, providing income generation and food security.


All work is done in a sustainable manner within the agroecology. The goal is to transform the settlements in structured production units, with training and promoting the sustainable development of families or groups, such as the traditional association of women and we rely on advice in defining the activities to be developed in each region in production to marketing.

09/03/2011

Política de eliminação da miséria deve ser focada na mulher

Em mensagem divulgada nesta terça-feira por ocasião do Dia Internacional da Mulher, a presidente Dilma Rousseff afirma ter como "objetivo fundamental" a "erradicação da pobreza extrema".

Ela diz estar convencida de que uma política bem-sucedida de eliminação da miséria deve ser focada na mulher e na criança.

"No Brasil, a pobreza tem cara: ela é muito feminina, está ligada às mulheres. Quanto mais pobre a família, maior a chance de que ela seja chefiada por uma mulher. Estou convencida de que uma política bem-sucedida de eliminação da miséria deve ser focada na mulher e na criança."

Segundo Dilma, programas como o Minha Casa Minha Vida, o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) Mulher ou o Bolsa Família são eficientes porque privilegiam as mulheres.

"No Dia Internacional da Mulher, quero ressaltar que a eliminação da discriminação de gênero e a valorização das mulheres e das meninas são estratégias indispensáveis para alcançarmos êxito em nossa luta contra a pobreza."

A presidente destacou a Lei Maria da Penha como sinal de progresso no combate à violência contra as mulheres.

"Mas ainda há muito por fazer. Temos o compromisso sagrado de enfrentar essa questão, intensificando e ampliando as medidas adotadas no governo passado. O Brasil que queremos, e que vamos ter, é um país sem violência. É um país com água, com luz, com saneamento, com educação de qualidade e emprego digno para todos. É um país rico, em que as mulheres e os homens têm as mesmas oportunidades e privilégios, contribuindo juntos para o desenvolvimento e o criando seus filhos com dignidade e com orgulho."

28/02/2011

Politicas púbicas e Meio Rural


As desigualdades de gênero na zona rural brasileira integram o conjunto de outras desigualdades sociais.
E são agravadas pelas péssimas condições de vida e de acesso a políticas públicas, principalmente nas regiões pobres do país.
A carência de infra-estrutura nas áreas rurais, por exemplo, atinge em especial as mulheres. Afinal, a casa é um dos espaços mais importantes do trabalho feminino.

Os movimentos rurais e de mulheres tiveram papel fundamental na elaboração de políticas públicas voltadas à população rural. Embora nem sempre dirigidas especialmente às mulheres, essas medidas contribuem para atenuar as desigualdades sociais e de gênero no Brasil.

(http://www.mulheresnobrasil.org.br/interno.asp?canal=polpublicas&id=polpublicas)

23/02/2011

Convênio INCRA SEBRAE (ATES) NIQUELÂNDIA-GOIÁS

Experiências vividas na Assessoria Técnica, Social e Ambiental à Reforma Agrária. E informações sobre o campo em especial com a inclusão de mulheres e jovens no Brasil. LUTA PELA IGUALDADE DE GÊNEROS. Trabalho é feito em parceria com Convênio entre o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE em Goiás - Brasil). http://www.sebraego.com.br


Experiences in Technical, Social and Environmental Agrarian Reform. And information about the field especially with the inclusion of women and youth in Brazil. STRUGGLE FOR GENDER EQUALITY. Work is done by private companies in partnership with the Agreement between the National Institute of Colonization and Agrarian Reform (INCRA) and the Department of Micro and Small Enterprises (SEBRAE in Goiás - Brazil). http://www.sebraego.com.br

ONU MULHERES (UNIFEM)

Mulheres da ONU é a organização da ONU dedicada à igualdade de gênero eo empoderamento das mulheres. Um campeão mundial de mulheres e meninas, das Nações Unidas da Mulher foi criado para acelerar o progresso na satisfação das suas necessidades a nível mundial.
As principais funções da Mulher da ONU são:

- apoiar os organismos inter-governamentais, como a Comissão sobre o Status da Mulher, na formulação de políticas, padrões e normas globais.
- Para ajudar os Estados-Membros a implementar estas normas, estando pronto para fornecer apoio técnico e financeiro adequado para os países que o solicitarem, e estabeleça parcerias eficazes com a sociedade civil.
- para manter o sistema das Nações Unidas responsável por seus próprios compromissos sobre a igualdade de género, incluindo o acompanhamento regular do progresso do sistema.