Ocorreu um erro neste gadget

29/04/2011

Projeto Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS)


 Horta orgânica que faz parte do Projeto Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS), do Convênio SEBRAE-INCRA em Niquelândia-Go, em parceria com a Fundação Banco do Brasil. O objetivo é levar alimentação saudável para a mesa e contribuir para a geração de emprego e renda das famílias.
O sistema que combina a permacultura e a agricultura orgânica é constituído de círculos que tem ao centro um aviário coberto com capacidade para criar de 10 a 50 galinhas, em torno dele uma faixa composta de três canteiros de 1,20 metro de largura para o cultivo de hortaliças à volta desta, outra faixa para plantio de legumes e outros alimentos. Daí para diante vem o quintal das frutas, que é dividido em dois piquetes ao qual as galinhas chegam para pastar depois de passar por um estreito corredor que liga o galinheiro ao quintal.   
Essa construção relativamente simples e de fácil manutenção pelo produtor, conta com um sistema de irrigação por gotejamento que funciona por pressão natural da queda d’água e é alimentado por um reservatório com capacidade para cinco mil litros.

O PAIS é direcionado para agricultores familiares de baixa renda e ensina a plantar sem agrotóxico. A metodologia reúne técnicas de produção agroecológica e promove o desenvolvimento sustentável. As fotos postadas são do Assentamento Santa Rita do Brueiro em Niquelândia-Go. A alternativa possui grande valor ambiental e gera economia para os produtores rurais. Esta tecnologia social cria oportunidades para os trabalhadores. Além de consumir alimentos de qualidade e preservar o meio ambiente e podem aumentar a renda com a comercialização dos excedentes.

20/04/2011

SEGURANÇA ALIMENTAR (LAVORA DE ARROZ) ASSOCIAÇÃO DE MULHERES AMURV


As lavouras de arroz da associação de mulheres do assentamento Rio Vermelho está chegando na hora colheita.

A importância dos plantios coletivos e assegurar a segurança alimentar e nutricional essa lavora ira ser dividida entre as 33 sócias estimamos que todas as 33 famílias terão arroz por 13 meses.

Nos assentamentos rurais esse tipo de ação é mais fácil pois as propriedades encontra-se umas ao lado das outras. Em geral possem uma sede para reuniões e encontros das produtoras.

ONU Mulheres Brasil e Cone Sul abre edital anual para financiamento de projetos da sociedade civil

Seleção destina US$ 415 mil e está centrada em três áreas temáticas: liderança e participação política, eliminação da violência contra as mulheres e empoderamento econômico das mulheres.  Propostas de projetos serão recebidas até o dia 8 de maio de 2011
 
 
Brasília, 19 de abril de 2011 - A ONU Mulheres – Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e Empoderamento das Mulheres abre nesta terça-feira (19/4) edital anual para financiamento de projetos da sociedade civil. A seleção se encerra no dia 8 de maio de 2011 e prevê o financiamento de US$ 415 mil (cerca de RS 680 mil) para iniciativas que sejam executadas na Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai.
 
O edital está estruturado em três áreas temáticas: expansão da liderança e participação das mulheres, promovendo a igualdade de gênero nas diferentes esferas da sociedade; eliminação da violência contra as mulheres; e fomento ao empoderamento econômico das mulheres. Podem apresentar propostas organizações da sociedade civil com experiência mínima comprovada de um ano na execução de projetos similares. Os projetos financiados deverão ser executados no período de 1º de julho de 2011 a 30 de junho de 2012.
 
Para o Brasil estão destinados US$ 133 mil (cerca de R$ 220 mil) para a capacitação de organizações da sociedade civil, especialmente de mulheres e população LGBT em situação de vulnerabilidade social, para participar na formulação e avaliação de políticas públicas na área de segurança pública. Os recursos também estão direcionados para apoiar as atividades preparatórias da 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres e aumentar a capacidade de liderança das mulheres em cargos eletivos e em esferas de tomada de decisão.
 
Na Argentina, o edital canaliza US$ 87 mil para o fortalecimento de rádios comunitárias; atividades de base de mulheres rurais, povos originários e migrantes para incidência nas políticas públicas; e produção de conhecimento sobre cadeias de cuidado, uso do tempo e temas econômicos de mulheres rurais, povos originários, afrodescendentes, migrantes e em outras áreas de vulnerabilidade. Para o Chile, a seleção prevê US$ 55 mil para a seleção de projetos que aumentem a capacidade de liderança das mulheres e a participação delas em cargos eletivos e de tomada de decisão; e a geração de renda de mulheres rurais, com enfoque especial em mulheres indígenas.
 
No Paraguai, serão financiados US$ 62 mil em projetos que reinstalem a discussão sobre cotas para mulheres na política; fortaleçam as capacidades institucionais da Secretaria de Gênero do Poder Judiciário; e fortaleçam a capacidade de elaboração de orçamentos sensíveis ao gênero da Secretaria da Mulher da Presidência da República. Para o Uruguai estão alocados US$ 78 mil para financiar iniciativas que estimulem a participação política das mulheres e fomento dos direitos das mulheres de minorias com discriminações múltiplas; e apóiem iniciativas relacionadas a gênero e mudanças climáticas.
 
 

O Consulado da Mulher (PARABENS PELAS INICIATIVAS)

O Instituto Consulado da Mulher é uma ação social da marca Consul criada para que mulheres de baixa renda encontrem oportunidades de geração de recursos para a melhoria da qualidade de suas vidas e as de suas famílias.

Acreditamos que a mulher é o pilar de sustentação da família, e agente transformador do seu entorno.  Ao entender as oportunidades para ampliação de sua renda, ela percebe uma nova forma de viver e relacionar-se com o mundo, multiplicando esse conhecimento para seus filhos e demais familiares.
O processo de assessoria desses empreendimentos utiliza princípios metodológicos próprios, baseados em conceitos da Economia Solidária e da Educação em Gênero, e ocorre de duas formas: pelo Programa Mulher Empreendedora, nas cidades onde o Consulado da Mulher possui unidades, e pelo Programa Usinas do Trabalho, que beneficia organizações de todo o Brasil que também trabalham com incentivo à geração de renda entre mulheres.


Nosso Público
Os empreendimentos assessorados pelo Consulado da Mulher são formados por uma maioria de mulheres de baixa renda, com idade mínima de 16 anos e com dificuldades
de acesso ao mercado de trabalho e à economia formal, ocasionadas pela falta de capacitação técnica. Geralmente responsáveis pelas tarefas domésticas e dos filhos,
o que dificulta a prática de atividade remunerada, muitas delas possuem dificuldades
de acesso a recursos básicos, como transporte e meios de informação.
O Consulado da Mulher tem configuração jurídica de Organização da Sociedade Civil desde 2005. Este status proporcionou ao Consulado da Mulher maior autonomia e possibilidade de desenvolvimento e expansão, por meio de parcerias e captação de recursos próprios.

http://www.consuladodamulher.com.br

13/04/2011

Curso de empreendedorismo para mulheres das regiões rurais

O Senar lançou um curso de empreendedorismo gratuito para as mulheres moradoras das regiões rurais do Brasil, para auxiliá-las a administrar o negócio e a propriedade, ensinando desde aspectos gerais de direitos trabalhistas até as características essenciais de um líder.

O curso possui 40 horas de atividades em ambiente online e aborda conceitos de empreendedorismo características de empreendedores de sucesso, planejamento, organização, controle e avaliação dos resultados de um negócio. As matrículas estão abertas no site: http://eadsenar.canaldoprodutor.com.br/cursos

03/04/2011

A importância da mulher na agricultura familiar

Embora os homens sejam maioria entre a população do meio rural, as mulheres têm conquistado cada vez mais um papel importante no campo. De acordo com o IBGE, atualmente existem 4,1 milhões de trabalhadoras na agricultura familiar no país e 600 mil delas são responsáveis por estabelecimentos agropecuários.

A organização das pessoas que vivem no espaço rural, mais precisamente, que fazem parte da agricultura familiar mudaram, ou melhor dizendo, se adaptaram na busca da permanência no campo. E, no esforço de construir possibilidades para a autonomia social, econômica e política, as mulheres exercem papel  fundamental no contexto da produção familiar. A mulher se divide em uma jornada de trabalho extensa, que combina atividades no comércio, na casa e no trabalho agrícola, seja pela busca de incremento nos rendimentos familiares, agregando valor aos produtos agrícolas. Ainda podemos mencionar a confecção de doces caseiros,  o artesanato doméstico (fabricação de toalhas de crochês, pinturas em guardanapos, panos de prato, etc...) e a dedicação ao pequeno comércio que se localiza junto a unidade produtiva, constituindo formas complementares de renda.

As estratégias adotadas são as mais diversas, entretanto, a figura da mulher ocupa uma posição de destaque, porque é a responsável pela grande parte das atividades que caracterizam a pluriatividade na agricultura familiar.


http://www.tvhoje.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1691:a-importancia-da-mulher-na-agricultura-familiar&catid=69:outros&Itemid=125